Bózios, Retombos i Siléncios | Gritos, Ecos e Silêncios

Bózios, Retombos i Siléncios | Gritos, Ecos e Silêncios
Editora: Produção Independente
Autor: Adelaide Monteiro
Pontos de fidelidade: 10
Disponibilidade: Em stock
Preço: 12,00€

Sien deixar de ser ua mirandesa retinta, Adelaide Monteiro ye la más ounibersal de las poetizas mirandesas, sendo que l ounibersal eiqui quier dezir “de l mundo anteiro”, mas tamien l ounibersal de Torga, l sítio sien paredes, nien paredes de piedra (las solo paredes de piedra de la poesia de Delaide seran las de ls cerrados de l Praino) nien paredes mentales, que le atafánhen la boç cun falsas moralidades.

                                                                       ----

Sem deixar de ser uma mirandesa de gema, Adelaide Monteiro é a mais universal das poetisas mirandesas, sendo que, aqui, universal significa “de todo o mundo”, mas também o universal de Torga, o lugar sem paredes, nem de pedra (as únicas paredes de pedra da poesia de Adelaide serão as dos “cerrados” do Planalto) nem paredes mentais, que lhe abafem a voz com falsas moralidades.

Alfredo Cameirão (excerto do prefácio)

 

Bestido de chita 

Para que me dás brocados
Tan bistosos i pesados
Stás cansado de saber
Que l que gusto a baler
Ye dun bestido de chita.

Puode ser lisa ou cun flores
Puode tener ua ou mais quelores
Cun riscas ou cun quadrados
Puode tener rendas ou bordados
Anriba de la pura chita.

Fai-me deilha la saia rodada
Solo rufada ou preguiada
Puode cheirar a tierra ou mar
Yerba acabada de cortar
Na simplecidade de la chita.

--

Vestido de chita

 Para que me dás brocados
Tão vistosos e pesados
Estás cansado de saber
Que o que eu gosto a valer
É dum vestido de chita.

Pode ser lisa ou com flores
Pode ter uma ou mais cores
Com riscas ou com quadrados
Pode ter rendas ou bordados
Em cima da pura chita.

Faz-me dela saia rodada
Só franzida ou pregueada
Pode cheirar a terra ou mar
Erva acabada de cortar
Na simplicidade da chita.

Fazer um comentário

Nome:


Comentário: Obs: HTML não suportado!

Avaliação: Ruim           Bom

Digite o código exibido na imagem abaixo:



Poetica © 2017